Enfermagem

FARMACOLOGIA – Profª Ijaneide Araújo

 FINALIDADE DOS MEDICAMENTOS:

Os medicamentos são usados para um ou mais dos seguintes fins:

  1. Fornecimento de elementos carentes ao organismo. (Ex.: vitaminas, sais minerais, proteínas, hormônios)
  2. Prevenção de uma doença ou infecção. (Ex. soros, vacinas, anti-sépticos, profiláticos da cárie dentária)
  3. Combate a uma infecção (cura). (Ex. antibióticos, anti-helmínticos, anti-protozoários).
  4. Bloqueio temporário de uma função normal. (Ex. anestésicos gerais e locais).
  5. Correção de uma função orgânica desrregulada.
    • Disfunção – cardiotônicos no tratamento de insuficiência cardíaca congestiva;
    • Hipofunção – hidrocortisona no tratamento de insuficiência supra-renal;
    • Hiperfunção – metildopa em hipertensão arterial.
  6. Desintoxicação do organismo. (Ex. antídotos).
  7. Agentes auxiliares de diagnóstico.( Ex. radiopacos: sulfato de bário).

CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS:

Os medicamentos oficializados devem apresentar três características fundamentais de acordo com a identidade, pureza, estabilidade e uniformidade, conforme sua descrição nos códigos oficiais.

  1. Eficácia – efeito terapêutico esperado. (Ex. o Ácido acetilsalicílico deve ter ação analgésica e antipirética).
  2. Segurança – isenção de efeitos adversos inesperados, determinados por ensaios farmacológicos e toxicológicos.
  3. Biodisponibilidade – capacidade de atingir a circulação geral ou ser absorvido em quantidades gradativas e com rapidez adequada.

OBS:

a)      Na biodisponibilidade intervêm vários fatores, entre eles: forma medicamentosa, via de administração, variáveis de fabricação e de conservação, e o estado do paciente.

b)      Efeito colateral é o efeito imprevisível que não está relacionado à ação principal dos medicamentos, porém já é esperado.

c)      No estudo dos medicamentos consideram-se três aspectos: a substância ativa, a forma e a fórmula.

FORMA DE APRESENTAÇÃO:

As especialidades farmacêuticas podem ser comercializadas sob as mais diferentes formas farmacêuticas: sólidas, semi-sólidas, líquidas e gasosas. Este estudo pertence à FARMACOTÉCNICA e é estudada segundo sua consistência (forma) e via de administração.

OBSERVAÇÃO: A classificação das Formas Farmacêuticas vai ser apresentada em sala de aula de maneira prática.

 VIAS DE ADMINISTRAÇÃO:

É o caminho pelo qual um medicamento é levado ao organismo para exercer seu efeito, estando intimamente relacionado à forma farmacêutica.

É uma das atribuições da Equipe de Enfermagem, onde não exige apenas habilidade manual, mas segurança, discernimento, conhecimento do medicamento a ser ministrado, entre outros, pois a única forma de diferenciar o medicamento do veneno é o seu uso adequado.

A administração de medicamentos é uma função terapêutica da enfermagem, que depende essencialmente da prescrição médica. Sua administração, não é um ato simples, tanto no que se refere ao preparo, quanto ao ministrar a medicação ao paciente. Exige-se responsabilidade, conhecimento de microbiologia, anatomia, fisiologia, farmacologia e de cuidados específicos da enfermagem.

Na administração de medicamentos deve-se levar em consideração “CINCO CERTOS” : droga certa, dose certa, via certa, hora certa e o paciente certo, além de uma prática sensata de enfermagem. Devem-se evitar distrações ao seguir esses pontos básicos e não conversar enquanto prepara ou ministra medicações, pois a falta de atenção poderá acarretar graves conseqüências.

VIA ORAL OU BUCAL:

É aquela em que o paciente deglute o medicamento, onde este tem de atravessar a mucosa do trato gastro-intestinal. Ex. drágeas, comprimidos, solução oral.

VANTAGENS: é de fácil manuseio; é mais segura, pois não há perigo; é econômica.

DESVANTAGENS: a medicação irrita a mucosa gástrica; pode haver prejuízo na absorção e utilização do medicamento; e às vezes, o paciente não pode deglutir.

VIA ENTERAL OU INTERNA:

É aquela que leva o medicamento para o interior do organismo por meio de uma sonda.

TIPOS:

  • NASO-GÁSTRICA (nariz/esôfago/estômago, este é o local de ação do medicamento)
  • NASO-ENTERAL (nariz/esôfago/estômago/intestino delgado, este é o local de ação do medicamento).
  • Jejunal – realizada por procedimento cirúrgico e pelo médico-cirurgião, onde este introduz a sonda no jejuno para ser administrado os medicamentos e esta administração é realizada pela equipe de enfermagem.

VIA PARENTERAL:

É aquela em que o medicamento é administrado por qualquer outra via que não seja a via enteral ou oral, ficando reservada aos medicamentos  administrados através de agulha.

TIPOS:

  • SUBCUTÂNEA OU HIPODÉRMICA: é a aplicação do medicamento no tecido subcutâneo; tem ação relativamente rápida e absorção lenta. (volume permitido até 0,5 ml)

Ex. insulina, adrenalina, vacina anti-rábica, soro antiofílico, anti-tetânico (soluções aquosas, onde o pH é neutro impedindo dor e alterações locais).

  • INTRADÉRMICA: é a preferida para introduzir alérgenos e vacinas. Local de aplicação a derme. (volume permitido 0,1 ml)
  • INTRAMUSCULAR: é a introdução direta do medicamento no músculo. É uma via de absorção rápida do que a oral e excelente para medicamentos dissolvidos em óleo. ( volume permitido até 4 ou 5 ml)
  • ENDOVENOSA: é uma via de ação e efeito mais rápida, pois o medicamento é administrado na veia. É a mais perigosa em virtude de introduzir grande quantidade de líquido em pequeno espaço de tempo. (Volume não tem limite)
  • INTRA-ARTERIAL o procedimento de aplicação por esta via é exclusivo do médico; é utilizada nas arteriografias e nos casos em que se deseja injetar uma substância diretamente em uma região restrita do organismo.
  • RAQUIANA e SUB-RAQUIDIANA o procedimento é restrito do médico para introdução de anestésicos cirúrgicos.  

VIA SUBLINGUAL:

O medicamento é administrado embaixo da língua, para ser rapidamente absorvido pela mucosa oral. É de uso limitado e seu uso maior ocorre nos casos de infarto e angina.

VIA RETAL:

É a introdução de medicamento no reto, através de supositórios ou na forma líquida, através de clister.

VIA VAGINAL:

É de uso local (aplicação) através de óvulos,creme, supositório.

VIA CONJUNTIVA:

É utilizada unicamente no tratamento ocular.

VIA NASAL;

Consiste na aplicação de medicamentos líquidos nas narinas, com a finalidade de aliviar a congestão nasal ou facilitar a drenagem da secreção nasal.

VIA AURICULAR:

É a introdução de medicamento no canal auditivo externo, com a finalidade de facilitar a remoção do cerúmen ou tratar os processos inflamatórios do canal auditivo ou do tímpano.

VIA RESPIRATÓRIO:

É a via de administração de medicamentos por meio da inalação, oxigenação e nebulização com a finalidade de tratar as vias aérias do paciente.

OBS: a inalação pode ou não conter medicamento.

“Quando modificamos nosso jeito de viver em prol do bem, percebe-se que o universo é cheio de sabedoria, pois DEUS é sabedoria infinita. Confiar nele, é estar seguro. Crer na vida é ser sábio.”

                        Desejo a vocês uma boa semana e que vocês lutem pelos seus sonhos sem destruir o sonho daqueles que não derrubaram vocês para alcançar nada, nem mesmo o AMOR do próximo.  

Profª  Ijaneide Araújo. 

8 pensamentos sobre “FARMACOLOGIA – Profª Ijaneide Araújo

  1. A administração de medicamentos é importante no sentido q nos futuros Técnicos de Enfermagem temos a responsabilidade de aprendermos corretamente os procedimentos a ser realizados nos clientes,e não esquecer dos 5 certos: cliente certo, medicação certa,dose certa, via certa e hora certa.

  2. O mau uso de medicamentos pela população é um problema fortemente
    enraizado no Brasil e pode causar sérios danos à saúde dos usuários.
    existem três tipos de medicação:
    De referência: é o primeiro remédio com determinado princípio ativo que surge no
    mercado. Segundo a ANVISA (www.anvisa.gov.br), é um produto inovador
    registrado, cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas
    cientificamente junto ao órgão federal competente.
    – Genérico: semelhante a um medicamento de referência ou inovador, que pode ser
    utilizado em substituição ao de referência, cuja eficácia, segurança e qualidade
    devem ser comprovadas, conforme a lei dos genéricos.
    – Similar: contém a(s) mesma(s) substâncias químicas, na mesma concentração,
    forma farmacêutica, via de administração, posologia, indicação terapêutica,
    preventiva ou diagnóstica, do medicamento de referência. No entanto, ao contrário
    do medicamento genérico, não precisa comprovar sua equivalência ao
    medicamento inovador.

    atenciosamente

    joseli odrigues

  3. Professora Ijaneide gostei bastante do vídeo é muito interessante o que nos auxilia em nosso aprendizado.
    Observando o que falava sobre as características de medicamento as fórmulas e formas da apresentação FARMACOTECNICA.
    Para a equipe de enfermagem exigi o discernimento e segurança na forma e no uso adequado.
    Ex:
    Via Endovenosa.
    Via Sublingual.
    Via Interal.
    Via retal.
    Observado também as três características de medicamento.
    A eficácia, efeitos terapêuticos.
    Gostei muito.
    Joselita

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s